Comentei em outros posts sobre minha viagem para a Carolina do Norte e que durante esta viagem fiquei na capital: Raleigh. Você pode conferir estes relatos em: Raleigh – Parte 1 e Raleigh – Parte 2.

charlotte_road
Estrada com Charlotte ao Fundo

Como a viagem foi um pouco longa, acabei tendo tempo de ir conhecer outros lugares dentro do Estado da Carolina do Norte. E um dos locais que fui conhecer foi a Cidade de Charlotte. Apesar de não ser a capital, Charlotte é a maior cidade do estado. Partindo de Raleigh, Charlotte está à aproximadamente 170 Milhas (270 KM), uma viagem curta de aproximadamente 2h30m de carro. Ainda na estrada, mas já entrando na cidade você já consegue notar por que esta é uma das maiores cidades da Carolina do Norte, com seus prédios enormes e em grande quantidade.

Já em Charlottote, é impressionante a organização que você encontra na cidade, totalmente planejada para ser um centro comercial. Me deu a impressão que a cidade foi construída a partir do terminal de ônibus da cidade.Ou seja, todas as ruas foram construídas para sair ou chegar ao terminal, que fica bem na parte central da cidade. Eu conhecia pouco sobre a cidade, e só passei a pesquisar de fato o que encontraria nela quando comecei a planejar minha viagem para lá. Ou seja, 3 dias antes de pegar a estrada. charlotte_tram

Por falar no terminal, além dos ônibus é de lá também que temos o “bondinho” da cidade. Existem os modelos mais modernos, mas esse pequeno “tram” estacinado me lembrou muito os modelos mais antigos de bonde que costumávamos ver. Ele cruza boa parte da cidade  ligando Norte – Sul / Leste – Oeste, também Midtown Charlotte. Você pode se informar mais sobre ele na página do Lynx Charlotte, onde você encontrará informações de itinerário, horários e quais passeios pode fazer com ele para conhecer a cidade se estiver com um pouco mais de tempo. Eu não tive a oportunidade de fazer esse passeio. Minha ida para Charlotte estava programada para apenas 1 dia e eu tinha alguns lugares para conhecer antes de ir embora.

charlotte_hornetsAinda em frente ao terminal de ônibus, fica a Time Warner Cable Arena / Charlotte Arena, arena do time de Basquete que leva o nome da cidade o Charlotte Hornets. Quando eu fui, a arena estava fechada e só tive a oportunidade de conhecer a parte externa dela, mas a loja de souvenires estava aberta. 😉

O time de Charlotte faz parte da Southeast Division de basquete dos estados unidos e compete na NBA. O time pertence ao nada conhecido jogador de basquete Michael Jordan. Eu gostaria muito de ter ido ver um jogo deles, apesar do time não ser aquela maravilha na NBA. Mas como não era temporada, nem sequer os play-offs, acabei me contentando apenas em ir conhecer a sede mesmo e fica para uma próxima vez assistir à um jogo.

Conhecer o Charlotte Center City, que é como é conhecida a parte central (Uptown) de Charllote, fazia parte dos planos, mas da forma como foi – uma passagem rápida – pois eu tinha planejado minha ida para Charlotte por dois motivos especiais, conhecer o  Nascar Hall of Fame e o North Carolina Aviation Museum. E foi para lá que fui.

Nascar Hall of Fame

charotte_nascarA sede da Nascar (National Association for Stock Car Auto Racing) é em Charlotte, fica poucos quarteirões de distância do terminal e logo que você entra na cidade consegue ver o prédio onde uma das corridas mais famosas dos Estados Unidos é gerenciada. No térreo, é onde fica o Nascar Hall of Fame. Um museu dedicado totalmente à história e memória dessa corrida que leva milhares de pessoas às pistas todos os anos. Se você gosta de corridas, automobilismo ou mesmo de Stock Car, este é o lugar que você deve ir com toda certeza, pois lá você tem quase 70 anos de história dessa categoria de corridas em um museu com muita interatividade, simuladores e espaço não só para adultos, mas para crianças também.

O ingresso do Hall pode ser escolhido em algumas modalidades. Você pode escolher apenas a entrada ao museu, ou mesmo pagar para ter acesso à conteúdo de áudio adicional, presente em praticamente todos os pontos do lugar, ou então o combo completo, que além de tudo isso, te da direito à um lanche no restaurante do Museu.

charlotte_nascarhofAssim que você compra seu ingresso, você é guiado à uma sala de cinema onde a história da NASCAR é contada em um vídeo de aproximadamente 10 minutos. Conta o surgimento, a histórias dos primeiros carros, a ilegalidade, como se tornou legal, os pilotos etc. Após essa demonstração, você fica livre para andar pelo museu e conhecer algumas das atrações que eles oferecem.

Curiosidade: A NASCAR surgiu durante  lei seca norte-americana. Mas não foi de uma forma legal. Enquanto a venda de bebidas alcoólicas era proibida nos Estados Unidos, as pessoas utilizavam seus carros para transportar bebidas de forma ilegal. Com a polícia na cola desses “distribuidores”, eles começaram à modificar seus carros para serem mais leves, menores e mais rápidos para poderem escapar da perseguição. Com o término da lei-seca, a necessidade de escapar da polícia acabou, mas a vontade de continuar a modificação dos carros para competir continuou. Assim surgiu a NASCAR, competição feita de carros modificados competindo para ver quem era o mais potente. As vezes esse tal de Estados Unidos é meio estranho de se entender. 😉

O museu é gigante, com três andares inteiros dedicados à contar a história dessa categoria de corridas, e descrever cada ponto aqui renderia dois ou três posts completos. Vou me atentar aos principais fatos de uma forma mais objetiva. O primeiro andar é dedicado apenas aos carros, e tem MUITO carro em exibição. Existe uma “mini pista” onde todos os modelos de carros, de todos os anos desde o início até os dias atuais, são exibidos. No tour com audio, é possível conhecer a história da maioria deles, o conceito e a ideia por trás da criação de cada modelo.

O segundo e o terceiro andar é onde estão as demais mostras, é possível encontrar uma oficina inteira montada com partes de carros, demonstrações e galeria de fotos e muito. E a maioria dessas mostras são interativas. Muitas das peças estão ali para serem tocadas, sentidas etc. É possível testar a aceleração de um carro atual, experimentar  o funcionamento dos amortecedores e até participar de uma troca de pneus e abastecimento de um carro.

É ali também que você irá participar do simulador de corrida. Dependendo do tipo de ingresso que comprou, você tem direito à uma volta no simulador, ou quantas voltas você quiser. O simulador é no estilo corrida, você faz inicialmente uma volta de qualificação (para aprender como dirigir no simulador) e depois vai para o carro competir com 17 outros corredores na pista.

Reconhece o
Reconhece o “velho Doc” aqui?

Se além de gostar de automobilismo, você for fã de Filmes / Animações, você irá descobrir que o filme Carros (Pixar – 2006) é totalmente baseado nas corridas da NASCAR. E não só isso, não apenas baseado, você encontrará os carros reais que inspiraram os carros da animação neste museu.

Ao lado está a foto do Hudson Hornet, que pode ser encontrado no filme, e também temos os caminhões de transporte, o carro do Xerife e diversas outras referências.

O Hall of Fame com certeza irá te fascinar não apenas pelas amostras e por toda a história dessa categoria, mas pela interatividade com praticamente tudo, desde uma simples peça do freio, quanto à uma interatividade que beira uma experiência real durante uma troca de pneus ou abastecimento. E não pense que será fácil, pois é tudo “real” o peso do carro que você terá que subir com o macaco-hidráulico ou o pneu que terá que trocar etc. Visite o site do Hall of Fame para ver os horários, mas nos finais de semana ele abre às 10:00 AM, e contando com o almoço, consegui ver tudo sem pressa, participar de algumas corridas no simulador e acompanhar o guia de áudio até aproximadamente 2:30 PM. Em uma média de 4 horas você consegue passar por tudo com tranquilidade.

Por falar em almoço, comentei que uma das opções de ticket para a entrada do Hall incluía receber um lanche na lanchonete do local. Mas eu não recomendo pegar essa opção, pois dentro do Hall of Fame temos uma entrada para o famoso Buffalo Wild Wings que é uma franquia famosa americana onde o carro chefe deles são as suas asinhas de frango apimentadas. Claro que existem diversas outras opções no cardápio, mas as asinhas definitivamente valem muito a pena. Economizar no ingresso, dispensando o lanche, pode te ajudar a comprar uma porção a mais no Buffalo Wild Wings. Experimente também os “Samples”, vem um pouco de cada prato para conhecer e abrir o apetite para o prato principal.

Carolinas Aviation Museum

Cadê o Santos Dumont?
Cadê o Santos Dumont?

Assim que deixei o NASCAR Hall of Fame eu fui para o Carolinas Aviation Museum. Fica à uns 10 / 15 minutos de lá e é um museu localizado em um Hangar do Aeroporto Internacional de Charlotte. O ingresso custa aproximadamente U$ 13.00 (já com as taxas inclusas) e  você tem acesso ao museu. Logo na entrada do museu você encontrará uma menção à quem foi pioneiro na história da aviação moderna: Os Irmãos Wright – claro. Não pense que os americanos irão sequer mencionar o Santos Dumont em um museu de aviação nos Estados Unidos. Polêmicas à parte, e passada essa primeira afronta, o restante do museu é fascinante.

Você logo de cara irá se deparar com alguns caças da força aérea americana e alguns helicópteros que estão em exposição no local mas que já foram aposentados. É impressionante ver de perto o tamanho desse aviões e conhecer um pouco da história de cada um e quais as suas finalidades em cada combate ou reconhecimento e resgate. Pelo que conversei com um dos membros do museu, alguns dos equipamentos ali mostrados são temporários, mas a grande maioria é permanente.

Existem algumas cabines de voos comerciais ou mesmo de alguns caças que é possível você entrar e sentir-se como um piloto de verdade. Ou pelo menos ter a sensação ou a visão dele lá dentro. E isso é muito interessante, pois todo o painel está ali, todos os instrumentos, os botões etc, ao seu alcance para serem explorados.

charlotte_us_airway_bannerMas o que mais me chamou à atenção no museu foi a exposição do Airbus A320  (US Airways Flight 1549). Você pode não estar familiarizado com esse modelo nem com o número do voo, mas provavelmente tenha ouvido falar do famoso voo da Airways que fez um pouso de emergência no Rio Hudson em New York alguns instantes após sua decolagem, em decorrência de um incidente envolvendo alguns pássaros. Pois bem, a famosa aterrissagem, que foi considerada heroica para alguns e que não teve nenhuma fatalidade, está presente no museu. Quando digo que está presente no museu, me refiro a exatamente TUDO sobre este voo, incluindo o avião, todas as peças recuperadas dele, pertences de passageiros e tripulação e alguns dos destroços que foram recuperados do rio.

charlotte_us_airwaysÉ impressionante ver o estrago que alguns pássaros causaram à fuselagem do avião quando bateram nele durante o voo, e também é impressionante pensar que o avião já estava em uma certa velocidade quando foi atingido, o que torna a façanha de pousar sem nenhuma fatalidade algo impressionante. Parte da destruição também foi causada, claro, com o impacto que ele teve com a água durante o pouso forçado. E todas essas peças, partes, e o avião completo como foi retirado do rio encontra-se no museu.

Essa foi uma das mostras que me interessou mais, por ser algo mais recente da história e por eu ter acompanhado quando ocorreu. Conhecer os fatos em detalhes acho que foi algo que me despertou o maior interesse nessa mostra em particular.

Também é possível ver os objetos recuperados de alguns passageiros e existe uma réplica do “pequeno” pássaro que atingiu o avião durante o voo. Essas duas fotos você poderá ver também aqui: Cabine e Objetos.

charlotte_aviation_externalContinuando pelo museu, muitos outros aviões não tão recentes, mas que fizeram parte da história americana estão presentes. A grande maioria é realmente de aviões de combate, ou helicópteros, de carga etc. Mas é bem interessante voltar no tempo e ver que muito do que era usado em modelos mais antigos, ainda está em uso hoje em dia. E também ver que muito se evoluiu e algumas tecnologias ficaram para trás.

Quando eu fui estava chovendo, portanto uma pequena parte da exposição que fica no lado de fora do hangar estava fechada. Além do que é exibido no hangar, existem alguns outros aviões que ficam em uma parte da pista onde é possível ter acesso e chegar bem próximo para tirar foto ou conhecer mais de perto. São modelos realmente grades que ocupariam um espaço considerável dentro do hangar e que por isso foram mantidos em um local externo. Mesmo que não tenha acesso à eles, devido as condições climáticas, existe um acesso onde você pode ver  todos mas “por fora”. Através das grades de proteção.

Resumo

Visitar Charlotte é uma experiência fantástica. Com um poco mais de tempo, é possível não apenas conhecer uns poucos pontos turísticos, mas diversos outros museus e parques, que são fantásticos nessa cidade. Alguns eu apenas passei em frente, mas não consegui parar para tirar foto ou para ter detalhes melhores para escrever a respeito.

Charlotte definitivamente não é uma cidade de um dia só. Se você está de passagem por lá, reserve no minimo dois dias para conhecer todas as belezas que essa ela tem para oferecer. É possível passar na maioria das atrações mais “badaladas” de Charlotte em dois dias. Conhecer alguns dos museus da região ou mesmo visitar os belos parques com bastante história e visuais fantásticos da cidade.

Anúncios