Eu sempre me interessei por projetos colaborativos ou comunidades que se juntam em torno de um tema específico e acabam compartilhando experiências, ou mesmo ajuda mútua entre seus membros. Algumas dessas iniciativas acabam por transformar a forma como interagimos com outras pessoas e com a sociedade.

Em relação à hospedagem, existem um projeto colaborativo muito interessante onde pessoas oferecem suas “casas” para viajantes e se conectam à diversas culturas diferentes. O projeto chamado Couchsurfing vem crescendo muito e hoje é utilizado por milhões de usuários e viajantes de todo o mundo. Em uma tradução livre, os “surfistas de sofá” oferecem e pedem locais para hospedagens rápidas, e em troca oferecem algo para o dono da casa. Não necessariamente dinheiro, mas cultura e uma boa interação pessoal…

Qual é o conceito por trás do CouchSurfing: em tempos de Facebook, e interação pessoal, a ideia do site é aproximar viajantes e  oferecer um “sofá” à eles por um curto período de tempo, criando uma comunidade de pessoas em volta de um mesmo gosto. A hospedagem não é cobrada, e da mesma forma que você pode oferecer uma cama, um sofá, um colchão etc para um viajante por um pequeno  período, você também pode solicitar um local para ficar.

Muito além de hospedagem, o site junta viajantes também de passagem para um passeio pela cidade, um café ou uma volta em um parque durante algumas horas etc. É voltado para hospedagem mas não se reserva exclusivamente à isso, junta pessoas com interesses em comum por viajar e conhecer novos lugares. Descrevendo dessa forma pode parecer um pouco utópico ou mesmo vago, mas por trás ele é muito mais interessante e vou tentar descrever o seu funcionamento para que se tenha uma visão do sistema.

Como Funciona

O cadastro é feito através do Site do CouchSurfing,  e após o término, você tem algumas opções, onde as principais são: Solicitar um Local para se hospedar, oferecer um lugar para hospedagem, marcar encontros com outros viajantes – que não precisam se hospedar mas procuram dicas de passeios ou para reunir pessoas – e também participar de fóruns com dicas e opiniões para outros viajantes.

Além disso, o site promove grandes encontros entre os participantes e é sempre interessante se juntar à eles durante suas viagens, pois é nesse momento que você realmente encontra os nativos, conhece locais diferentes e também interage com diversos viajantes. Por exemplo, em São Paulo, existem encontros mensais em alguns bares badalados no centro, e diversos viajantes aparecem por lá, alguns outros encontros são feitos em cafeterias e outros em parques, como o Parque do Ibirapuera, por exemplo.

Da mesma forma, outros paises e cidades tem suas comunidades que se reúnem e é algo bem interessante de se fazer. Se você está com tempo de sobra, pode ir à um desses encontros ou marcar um com os nativos para um passeio pela cidade, se está com pouco tempo pode pedir ajuda de roteiros e destinos.

Hospedagem

Mas com certeza o  ponto principal do site é proporcionar hospedagem grátis para os viajantes, criando uma rede de hóspedes e anfitriões através do mundo. O sistema é bem simples: ou você cadastra no site que tem um local disponível (um quarto, um “sofá”, um colchão, um ou dois lugares etc) ou você planeja uma viagem e solicita um local para ficar. As pessoas irão oferecer os locais e você pode ver o que melhor se encaixa no seu itinerário, distância ou gosto, dependendo do seu itinerário também.

A principal pergunta de fato é: é seguro? Apesar de não ser obrigatório, o sistema cobra uma taxa Anual para quem oferece hospedagem e essa taxa serve para a “verificação” do usuário. Ou seja, você é um anfitrião “certificado” pois o site irá fazer uma checagem do local, dos seus dados. E realmente algumas pessoas apenas aceitam se hospedar em usuários que sejam “verificados”.

Mas claro que você pode fazer sua viagem e utilizar o sistema não para hospedagem (apesar de ser interessante em termos de economia) mas para marcar encontros de grupos e conhecer pessoas, se conectar a elas e parar um dia para um roteiro diferente, preparado por um nativo, ou mesmo apenas para uma parada em um café ou bar e conversar um pouco com alguém.

Resumo

Eu adoro a ideia de Crowdsourcing. É um termo não tão novo que vem ganhando força atualmente, e pode ser descrito “como o processo de obtenção de serviços, ideias ou conteúdo mediante a solicitação de contribuições de um grande grupo de pessoas e, especialmente, de uma comunidade online“.

E você realmente se beneficia disso com dicas, informações e até hospedagem grátis dessa comunidade. O que é interessante do sistema é colocar esse tipo de público (turistas e viajantes) em contato já que possuem um gosto em comum.

Eu participei de alguns eventos aqui em São Paulo, e é interessante ver como muitos viajantes de outros países realmente aparecem e fazem uso do sistema. Vemos pessoas de todas as partes participando e vindo aos eventos para pegarem dicas de locais para ir no dia seguinte, de pontos turísticos próximos para conhecer etc. Caso sua cidade não tenha nenhum encontro, marque um. 😉

Anúncios